Brasil pode economizar US$ 14 bilhões se investir em mHealth

Você está em : Imprensa | Notícias

A GSMA anunciou nesta terça-feira (22/05) uma pesquisa que demonstra a transformação socioeconômica que a adoção da mHealth terá em países como o Brasil e México em 2017. Entre os benefícios estimados estão economia de US$ 17,9 bilhões em custos (US$ 14,1 bilhões no Brasil e US$ 3,8 bilhões no México) e a inclusão ao sistema de saúde de mais de 40 milhões de pacientes. O relatório, desenvolvido pela GSMA – entidade global que representa os interesses das operadoras de serviços móveis – em colaboração com a PwC, aponta para os obstáculos que, hoje, impediriam que a projeção aconteça nos próximos quatro anos.

De acordo com pesquisa, sem uma ação decisiva dos órgãos reguladores e governos em prol da mHealth, apenas 10% dos pacientes que poderiam se beneficiar com a adoção das tecnologias em ambos os países irão fazê-lo. “As pressões sobre os recursos de saúde e o crescente peso das doenças crônicas tornam crucial a implantação de soluções inovadoras e de baixo custo. A mHealth irá aumentar o alcance, a eficiência dos gastos e a eficácia da assistência para prestar serviços de saúde de melhor qualidade a mais pessoas. Portanto, é fundamental que os governos e os reguladores trabalhem com os profissionais de saúde e as operadoras de telefonia móvel para impulsionar sua adoção”, disse, em comunicado, a diretora-executiva da mHealth da GSMA, Jeanine Vos.

Os benefícios

Capacitar os pacientes pobres e crônicos

• Levar os cuidados de saúde para mais 28,4 milhões de pacientes no Brasil e 15,5 milhões de pacientes no México em 2017

• Equipar cerca de 16 milhões de cidadãos para melhorar o seu estilo de vida e reduzir o impacto das doenças crônicas, prolongando a vida

Sustentar sistemas de saúde universais

• Melhorar a qualidade da assistência e a eficiência da prestação da assistência, economizando US$ 17,9 bilhões em custos (US$ 14,1 bilhões no Brasil e US$ 3,8 bilhões no México)

• Criar 200.000 empregos para sustentar as implantações da mHealth no Brasil e México

Melhorar a qualidade de vida

• Salvar quase 16.000 vidas e adicionar 23.000 anos de vida, bem como economizar aos médicos 14,6 milhões de dias de trabalho através da melhoria da prevenção, diagnóstico e tratamento

• Certificar-se de que os cidadãos constituam uma força de trabalho saudável, acrescentando US$ 12,9 bilhões ao PIB do México e do Brasil

Barreiras

O relatório aponta quatro grupos principais de barreiras que limitam a adoção da mHealth em toda a América Latina. Elas são:

Regulatórias

• As abordagens políticas e regulatórias ainda não estão desenvolvidas para apoiar as soluções de mHealth alcançando pacientes e profissionais de saúde de forma rápida e eficaz. A ausência de marcos regulatórios claros que orientam o desenvolvimento e a implantação destes serviços está retardando a adoção

Econômicas

• Os sistemas de saúde atuais incentivam os tratamentos individuais e as prescrições médicas, em vez de focar no cuidado preventivo e contínuo

• É importante a construção de evidência clínica que demonstre o impacto positivo que a mHealth pode oferecer, a fim de se obter a adesão da comunidade clínica e pagantes, como governos e seguradoras

Estruturais

• A fragmentação dos sistemas de saúde no Brasil e no México restringe o compartilhamento de informações e alinhamento dos processos, impedindo a expansão efetiva da mHealth

Tecnológicas

• A falta de interoperabilidade e padronização das soluções de mHealth pode localizar a implementação, o que limita a escalabilidade da mHealth

Caso essas barreiras não sejam ultrapassadas neste curto espaço de tempo, o documento lista o que os países estariam deixando de aproveitar em termos econômicos e sociais.

• A economia com os cuidados de saúde no Brasil e no México poderia se limitar a apenas US$ 1,5 bilhão e US$ 0,4 bilhão, respectivamente

• Brasil e no México estariam restritos ao tratamento de 3 milhões e 1,7 milhão de pacientes a mais e não o potencial total de 43,9 milhões

• Os ganhos no PIB poderiam se limitar a US$ 0,5 bilhão no Brasil e US$ 0,9 bilhão no México, em comparação com o combinado de US$ 12,9 bilhões se a adoção atingir o seu potencial em 2017

fonte: http://saudeweb.com.br/36922/brasil-pode-economizar-us-14-bilhoes-se-investir-em-mhealth/


Compartilhe: orkut blogger delicious digg twitter email


Mais publicações

Imagem e Guerbet fecham parceria
( Publicado em 31/07/2017 )


Mulheres no DF esperam até dois anos para fazer mamografia
( Publicado em 14/10/2016 )


Último relatório de financeiro da Forbes: Healthcare é o setor líder
( Publicado em 24/05/2016 )


Imagem e GE encerram parceria
( Publicado em 01/05/2016 )


10 dicas para gerir seu consultório (ou sua clínica)
( Publicado em 31/03/2016 )


Quando tratar menos é melhor
( Publicado em 26/01/2016 )


Ressonância e mamografia ajudam na prevenção do câncer de mama
( Publicado em 22/10/2015 )


Saúde caminha para um colapso, diz ministro
( Publicado em 29/09/2015 )


Como o paciente percebe a qualidade na hora da consulta?
( Publicado em 18/09/2015 )


Rastreamento de câncer é oferecido apenas em oito estados
( Publicado em 10/09/2015 )


Índice de mamografias no Brasil está abaixo da média mundial
( Publicado em 01/09/2015 )


Ministério destina R$ 100 milhões para 49 hospitais universitários
( Publicado em 03/07/2015 )


Consumidor-paciente quer experiências com boas sensações
( Publicado em 19/06/2015 )


Como gerir o aumento da demanda de exames de imagem
( Publicado em 28/05/2015 )


Principais tendências em diagnóstico por imagem em breve no Brasil
( Publicado em 12/05/2015 )


GE descarta vender ativos no Brasil e considera aquisições
( Publicado em 06/05/2015 )


Operadoras de planos investem mais de R$ 3 bi em ampliações
( Publicado em 28/04/2015 )


Brasil lidera consumo de agrotóxico e Inca pede redução do uso
( Publicado em 09/04/2015 )


O preço de dar à luz ao redor do mundo
( Publicado em 09/03/2015 )


Cientistas desenvolvem estrutura de titânio pra cobrir implantes óssea
( Publicado em 09/01/2015 )


Desafio de Dilma é estabilizar saúde financeira do SUS
( Publicado em 30/10/2014 )


Hospitais cariocas são mal avaliados na gestão de insumos
( Publicado em 04/09/2014 )


Tratamento de HIV/Aids no Brasil salva mais que média global
( Publicado em 22/07/2014 )


O ano da RSNA na JPR
( Publicado em 05/05/2014 )


Rede privada brasileira tem mais equipamentos que Alemanha·
( Publicado em 14/04/2014 )


Brasil deve ter mais de 576 mil novos casos de câncer em 2014
( Publicado em 12/02/2014 )


Inca atualiza banco de dados de doadores de medula
( Publicado em 27/01/2014 )


Lullaby Warmer e Lullaby LED PT
( Publicado em 11/09/2013 )


Saúde pública perdeu quase 13 mil leitos em três anos
( Publicado em 04/09/2013 )


GE Healthcare compra a mineira Omnimed É a segunda grande aquisição da
( Publicado em 06/08/2013 )


Senai-SP e GE Healthcare investem R$44 mi em saúde
( Publicado em 30/07/2013 )


Anvisa obriga instituições a criarem núcleos de segurança
( Publicado em 29/07/2013 )


Mais Médicos: edital estará aberto para brasileiros e estrangeiros
( Publicado em 11/07/2013 )


Brasil negocia acordo para receber 6 mil médicos de Cuba
( Publicado em 06/05/2013 )


Conheça os vencedores do Top Hospitalar
( Publicado em 08/04/2013 )


Planos deverão justificar por escrito negativa de procedimentos médico
( Publicado em 11/03/2013 )


SP libera R$ 77 milhões ao Hospital São Paulo
( Publicado em 28/02/2013 )


US$ 1 bilhão para o combate ao Câncer
( Publicado em 08/02/2013 )


Santa Maria prevê a contratação imediata na área da saúde
( Publicado em 30/01/2013 )


3D permite que gestante cega sinta feto com a mão
( Publicado em 19/09/2012 )


GE Healthcar e Intel criam parceria para pesquisa
( Publicado em 15/03/2012 )